ja-cpanel-top

Com o Professor Arnoldo Lima, finalmente você vai aprender contabilidade !

o pensador "Nos transformamos naquilo que praticamos com frequência. A perfeição, não é um ato isolado, e sim um hábito" Aristóteles 338 a.C.

PROVA – SEFAZ / AUDITORIA Comentada

E-mail Imprimir PDF

 O professor Arnoldo Lima, comenta periodicamente diversar questões de prova, com resolução bem completas. Fique ligado nas atualizações do site e no twitter do Professor:  www.twitter.com/profarnoldolina

50- Ao confrontar-se com as situações a seguir expostas, o auditor as classificaria como uma situação:

 

I. Um funcionário da Contabilidade, com três períodos de férias não gozados, constantes da folha de pagamentos e da provisão de férias reconhecendo os valores a serem recebidos.

 

II. Contrato vigente de prestação de serviços de manutenção em ar condicionado. A empresa nunca possuiu este tipo de equipamento instalado em suas unidades.

 

III. O diretor financeiro da empresa comercial Betal S.A. possui um prédio fora de operação e resolve alugá-lo por 5 anos, recebendo o aluguel a vista, mas com cláusula de devolução parcial, caso seja rescindido o contrato. O diretor financeiro juntamente com o contador determinam que seja contabilizado em Resultado de Exercícios Futuros.

 

a) normal, fraude e erro.

b) fraude, normal e normal.

c) erro, normal e erro.

d) fraude, fraude e normal.

e) normal, fraude e fraude.

 

Opção: a

 

Fraude e Erro

 

No entendimento contábil temos que fraude é o ato intencional de omissão ou manipulação de transações, adulteração de documentos, registros e demonstrações contábeis. Por sua vez, o erro consiste em ato não intencional resultante de omissão, desatenção ou má interpretação de fatos na elaboração de registros e demonstrações contábeis.

 

Conforme a NBC T 11 (Res. nº 820/97), o auditor ao detectar erros relevantes ou fraudes na realização da auditoria deve comunicá-los à administração da entidade e fazer sugestões de medidas corretivas, comunicando sobre os possíveis resultados no seu relatório, caso elas não venham a ser processadas. Tem-se também que  a responsabilidade primária na prevenção e identificação de fraudes e erros é da administração da entidade, por meio da implantação e manutenção de sistema contábil e de controle interno eficientes. Contudo, o auditor independente deve efetuar o planejamento de seu trabalho de maneira a realizar a detecção de fraudes e erros que provoquem conseqüências importantes nos relatórios contábeis.

 

Na questão, das 3 (três) situações apresentadas, temos que a primeira compreende um evento normal, não se tratando de fraude, nem de erro; o segundo fato, por sua vez, consiste numa fraude pois como informado foi contratado um serviço para manutenção de um bem que não existe na entidade, o que configura em desvio de recursos; já o terceiro evento trata-se efetivamente de erro, pois o contador cometeu uma desatenção ou má interpretação de fatos na elaboração de registro ao realizar a escrituração em Resultados de Exercícios Futuros (REF) (hoje, Receitas diferidas (RD)) de valores recebidos antecipadamente com devolução. Este registro deveria ter sido realizado no passivo exigível.

 

OBS.: Receitas diferidas (obrigação não exigível): são valores recebidos antecipadamente que geram para a entidade a exigibilidade da entrega futura de bem ou prestação de serviço, e caso não faça uma coisa, nem outra, ter que devolver a quantia recebida antecipadamente.

 

54- Os testes de observância visam:

 

a) confirmar que as normas e procedimentos da empresa estejam estabelecidos e previstos em seus manuais.

b) estabelecer normas para implantação dos controles internos na empresa.

c) evidenciar que os procedimentos estabelecidos pela empresa estão funcionando e sendo cumpridos na prática.

d) assegurar que as demonstrações contábeis sejam apresentadas a todos os usuários.

e) garantir que os administradores da empresa estejam implantando os sistemas de controles internos.

 

Opção: c

 

Procedimentos de auditoria

 

Compreendem o conjunto de técnicas que possibilitam ao auditor independente chegar a evidências ou provas suficientes e adequadas para respaldar sua posição sobre os relatórios contábeis auditados, envolvendo os testes de observância (aderência) e substantivos. Os primeiros são aqueles que objetivam a obtenção de razoável segurança de que os procedimentos de controle interno, estabelecidos pela administração, estão em efetivo funcionamento e cumprimento, podendo ser flagrante (o evento ocorre no momento da auditoria) ou retrospectivo (o evento ocorreu no passado). Já os testes substantivos visam à obtenção de evidência quanto à suficiência, exatidão e validade dos dados produzidos pelo sistema contábil da entidade, dividindo-se em testes de transações e saldos e procedimentos de revisão analítica.

 

Relacione:   * Testes de observância ou aderência     =>     sistema de controle interno

                      * Testes substantivos      =>      sistema contábil

 

Créditos

O conteúdo desse site foi inteiramente compilado de aulas presenciais do Professor Arnoldo Lima e tenta reproduzir a experiência de assistir uma aula em seu concorrido curso preparatório para concursos e de treinamento e aperfeiçoamento profissional em contabilidade Geral, Avançada, de Custos e Auditoria.

Esteja a vontade para mandar emails com perguntas e sugestões para: pergunteao@professorarnoldolima.com.br

You are here: Questões Comentadas Auditoria PROVA – SEFAZ / AUDITORIA Comentada